Você tem medo de errar na hora de lidar com as atividades escolares de seus filhos? - Josie Picanço

Estava aqui lembrando da insegurança que eu sentia quanto à forma certa de lidar com a lição de casa dos meninos, o estudo para as provas e tudo o mais relacionado à escola. Eu fui mãe da Raquel aos 23 anos e do David aos 26. Assim, tudo começou relativamente cedo.

Eu via minhas amigas falando do tempo que gastavam fazendo o dever de casa com os filhos ou das professoras particulares que contratavam e eu ficava pensando se estava agindo certo com as minhas crianças.

Eu tinha pouco tempo, pois trabalhava o dia todo e também me separei quando eles eram pequenos, então era muita responsabilidade.

Nem sempre conseguimos dedicar o tempo que eles precisam

A mais velha sempre foi muito estudiosa, gostava de caprichar por ela mesma. Eu sentava para revisar e ajudar, mas nem sempre dedicava o tempo que ela queria. Quando era alguma coisa pra fazer no final de semana, ótimo! Mas o dia a dia era bem corrido e tirar dúvidas de tarefa à noite, a criança com sono, fica mais difícil.

Ela desde pequenina era uma criança muito criativa, bem dedicada e tudo fazia com perfeição. Eu às vezes me sentia culpada por não dispor do tempo que ela me requisitava para mostrar o que tinha feito.

Já o mais novo tinha um jeito diferente de ser. Ele queria tudo muito rápido, não tinha paciência pra ficar caprichando na letra, passando a limpo e mudando de canetinha, como a irmã. O negócio com ele era sentar rapidinho e dar uma olhada geral no que ele já tinha feito, quando ele deixava, e ver o que faltava, quando faltava.

Muitos dias ele dizia que não precisava mostrar, que já tinha feito tudo e não tinha dúvida nenhuma. Eu tinha só que assinar a agenda.

Filhos diferentes, formas distintas

Para mim, foi ficando muito claro que a maneira de lidar com cada um tinha que ser bem diferente. Durante algum tempo, eu quis cobrar do mais novo que ele fizesse as tarefas do mesmo jeito que a irmã. Porque eu também era perfeccionista como ela.🤦🏼♀

Mas ele não era perfeccionista. E, na forma dele, ia fazendo as tarefas, os trabalhos, estudando para as provas, gastando menos tempo, com menos estresse e tendo ótimo resultado. Ele não precisava tirar nota 10, tinha interesse em muitas coisas, era um menino investigador e com um raciocínio muito rápido. E na escola, também sempre ficava acima da média.

A vivência na educação escolar dos meus filhos me fez aplicar abordagens diferentes com cada um e eu quero compartilhar com você o que eu aprendi com isso.

Abordagens diferentes para cada criança

✅ cada criança tem seu ritmo, sua forma de aprender, não dá pra agir igual com crianças diferentes;
✅ não se pode ficar comparando o resultado escolar dos filhos, falando coisas do tipo “ah, mas sua irmã faz melhor!”, “suas notas estão boas, está quase como sua irmã”;
✅ o interesse pela escola tem tudo a ver com o interesse pela vida, pela música , pelo esporte⛹🏻, pela descoberta, pela arte .

Incentivar os filhos a explorar o mundo

Não podemos supervalorizar a educação formal das matérias da escola e esquecer de estimular nossos filhos a explorar o mundo.

E você, sente essa dificuldade também? Tem filhos com temperamentos diferentes e fica insegura ao decidir como deve lidar com eles? Ou ouve uma amiga dizer que acompanha a vida escolar do filho dela de forma diferente e fica em dúvida se deve fazer ou não da mesma maneira?

Se você deseja saber mais sobre isso, cadastre-se em minha lista VIP e receba conteúdos exclusivos. Vou ficar muito feliz em compartilhar mais dicas e experiências com você.

Apoio: